otimização de processo seletivo tech

Como otimizar processo seletivo tech? Confira 4 estratégias!

Um dos principais dilemas da área de recrutamento e seleção em tecnologia é a agilidade. Em um mercado altamente competitivo, como o de profissionais de TI, a lentidão, gerada pela falta de organização, burocracia, dificuldade de encontrar um candidato com o perfil desejado, falta de respostas dos talentos, entre outras origens, pode ser uma grande inimiga do sucesso.

Uma vaga de emprego de tecnologia em aberto, pode significar que a empresa está com um projeto importante paralisado, queda da produtividade e, consequentemente, prejuízo. Por isso, a pressão para preenchimento das vagas é grande e o tempo para que ela seja fechada curto.

Para driblar esse grande desafio, tornar o processo mais rápido e assertivo e cumprir com o SLA, Acordo do Nível de Serviço esperado pelo gestor de TI para que o RH encerre o processo seletivo de talentos tech, é preciso adotar algumas estratégias inteligentes. Pensando nisso, nós selecionamos várias dicas que podem ajudar a otimizar processo seletivo tech. Confira a seguir:

1.Use metodologia e a mentalidade ágil para otimizar processo seletivo tech

Com a abertura de vagas frequente é preciso muita organização e atenção para o funil do processo seletivo, para que as etapas sejam continuadas e o processo não fique parado ou esquecido em alguma fase. A gerente de Talent Acquisition da Ame Digital, Patrícia Volpi, destaca o uso de um Kanban puxado dentro do RH para organizar o processo e cuidar muito bem do candidato e de sua experiência durante o recrutamento.

Confira entrevista na íntegra com a Ame Digital:

2.Faça uma grande parceria com os gestores internos de TI

As áreas de RH e Tecnologia precisam falar a mesma língua, se integrar e se ajudar para que o processo seletivo caminhe de forma mais rápida. Nesse sentido, o Tech Recruiter ou Talent Acquisition precisa estar próximo aos gestores e entender de forma profunda as reais expectativas e necessidades para a vaga em aberto. “Não somente o perfil do candidato, mas informações valiosas sobre o projeto que ele fará parte, qual a transformação e o impacto que ele poderá gerar entrando para aquela função e equipe”, ressalta a gerente, Patrícia Volpi.

Além disso, não é somente o profissional de recrutamento que precisa aprofundar seus conhecimentos em tecnologia, a parceria precisa ser de mão dupla. Os gerentes de TI precisam também adquirir conhecimento técnico sobre seleção de talentos.

Uma estratégia implantada na Ame Digital, tomou essa premissa como regra e está fazendo da parceria entre as duas áreas um grande sucesso. Segundo o Superintende de TI, Luiz Carlos Silva, a implantação de treinamentos de lideranças de Tecnologia para que elas entendam o lado do RH, isso é, o processo seletivo, a importância das entrevistas, as diferenças entre os tipos de entrevistas e quando usar cada técnica (semiestruturada, voltada por competências, entre outras) está facilitando bastante a decisão de contratação dos talentos.

“Outra estratégia que estamos colocando em prática e está agilizando o processo seletivo tech é a participação dos gestores que trabalharão diretamente com o candidato nas entrevistas para que eles posam fazer uma avaliação mais direta e em conjunto”, explica.

Superintendente de TI da Ame Digital, Luiz Carlos Silva.

Assim, por mais que a entrevista tenha um tempo de duração mais longo por contar com a participação de mais colaboradores simultaneamente, ela é também muito mais eficiente, já que, consegue extrair as informações necessárias em um só momento.

Uma pergunta pode complementar outra e a avalição do candidato fica mais completa. “Um colega faz um questionamento e eu tenho um insight que talvez não teria sozinho. Também podemos chegar à conclusão, em conjunto, de que o candidato não se encaixa na vaga pensada à princípio, mas é perfeito para uma outra oportunidade em aberto. Poupamos tempo, nosso e do candidato, que pelo método tradicional passaria cada dia por uma entrevista com um colaborador diferente, tornando o processo longo e cansativo”, completa o Superintendente.

Ainda dentro da estratégia de criar uma forte parceria entre as áreas envolvidas no recrutamento, uma importante ação é o RH manter uma agenda fixa com os gestores de TI para entrevistas.

De acordo com a Gerente de Talent Acquision, Patrícia Volpi, uma estratégia simples, mas que faz muita diferença é bloquear na agenda dos gestores de tecnologia um horário fixo semanal para realizar entrevistas com candidatos, falar sobre contratação de talentos, o andamento dos processos que estão ativos, o desempenho dos talentos que já foram contratados e saber as novas demandas que surgirão para se antecipar aos problemas e preparar um planejamento adequado. “Dessa forma, não perdemos tempo tentando encontrar uma agenda disponível. O planejamento facilita o processo”, finaliza.

3.Mantenha um banco de talentos ativo

Contar com um banco de talentos pode agilizar bastante o processo, mas vale destacar que de nada adiantará se ele estiver totalmente inativo, isso e, se não houver interações constantes com os possíveis candidatos, para mantê-los sempre atualizados e inteirados sobre sua empresa, cultura e vagas.

Nesse sentido, Patrícia destaca algumas ações que podem manter o banco sempre ativo e atualizado, como promover pesquisas e enquetes, enviar newsletter com notícias de interesse desses talentos, entre outras ações.

4.Invista em ferramentas

Por fim, uma outra dica relevante para profissionais e empresas que desejam otimizar os processos seletivos é usar ferramentas que facilitam o trabalho do dia a dia de forma inteligente, como as que ajudam a aplicar testes técnicos, para realizar avaliação de fit cultural, de performance, comportamento e ranking de talentos qualificados e validados que garantem profissionais em timing de contratação.

“Recursos para apoiar a decisão da contratação ajudam a agilizar o processo. Na Ame, nós investimos em várias ferramentas uteis e inovadoras”, afirma.

Gerente de Talent Acquisition da Ame Digital, Patrícia Volpi.

Agora você já sabe quais são as principais razões que causam a lentidão nos processos seletivos, descobriu as consequências negativas que isso pode gerar para as empresas e conferiu algumas estratégias e dicas para otimizar processo seletivo tech.

Gostou do conteúdo? Então se inscreva aqui na nossa página do Linkedin DIO para empresas e confira mais informações ricas sobre o universo de atração e retenção de talentos de tecnologia.