Mulheres na Tecnologia: uma missão possível!

A equidade de gêneros e a conquista de espaço na área de tecnologia por parte das mulheres é um assunto que está em alta e merece nossa atenção. Muitas empresas já adotam diversas estratégias para oferecer mais oportunidades e promover reconhecimento da força da mulher na economia.

Para entender o panorama atual do mercado em relação ao tema, trazemos alguns dados relevantes como quais dificuldades elas enfrentam, a evolução da participação feminina na área de tecnologia e algumas dicas preciosas de como driblar os desafios e vencer na carreira.

Quais dificuldades as mulheres enfrentam na área de tecnologia?

Você sabia que as mulheres representam somente 20% dos profissionais de tecnologia do país? Segundo a pesquisa Women in Technology, da Michael Page, as principais razões por trás do baixo número de mulheres líderes de tecnologia são:

  • 38% – falta de inscrições por parte das mulheres;
  • 37% – falta de oportunidades para as mulheres;
  • 25% – escassez de talentos femininos com o conhecimento exigido;
  • 17% – falta de experiência necessária para ocupar o cargo.

Mas o cenário está mudando?

Mesmo com todas essas adversidades, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), apontou que a participação delas cresceu 60% nos últimos cinco, passando de 27,9 mil para 44,5 em 2019. E segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a tendência é que, em 10 anos, a participação das mulheres no mercado de trabalho deve crescer mais do que a dos homens em diversos segmentos, entre eles, ciência e tecnologia.

Os benefícios da igualdade de gênero são nítidos no mercado. De acordo com uma Pesquisa da Aliança Mundial de Informações sobre Tecnologia e Serviços, 9 trilhões de euros no PIB global podem ser gerados com uma participação maior das mulheres na indústria de tecnologia.

Algumas empresas já reconhecem a importância, tanto econômica, quanto social, de oferecer mais oportunidades para as mulheres e estão adotando várias estratégias para que isso aconteça.

Uma delas é o Bradesco. Segundo o Relatório de Resultados do Banco deste ano publicado em agosto, 51% dos 88.129 funcionários são mulheres e 35% delas ocupam cargos de liderança. Uma iniciativa que está ajudando a revolucionar o mercado e promovendo a inclusão e igualdade de gênero.

Para descobrir quais estratégias o Bradesco está utilizando para atrair e reter mulheres, principalmente na área de tecnologia, nós conversamos com três grandes lideranças femininas, Cíntia Scovine Barcelos, Diretora de Infraestrutura de TI do Bradesco, Jackeline Busnello, Gerente Departamental de Recursos Humanos, Vaneska Teletka, Gerente Departamental de Desenvolvimento de Sistema.

Você pode conferir nosso bate-papo na íntegra aqui:

Em quais táticas as mulheres precisam investir para ganhar cada vez mais espaço?

Uma das primeiras e mais importantes dicas é vença a Síndrome do Impostor. Vivida por muitas mulheres, ela é caracterizada por pessoas, que têm tendência à autossabotagem, isso é, o indivíduo constrói uma percepção de si mesmo de incompetência ou insuficiência que gera uma sensação de incapacidade e demérito.

Segundo a Gerente Departamental de Desenvolvimento de Sistema, Vaneska Teletka, as mulheres tem uma tendência de sempre duvidarem da sua capacidade, por serem exigentes consigo mesmas e buscarem pela excelência. “Por isso minha dica é: se você está com medo, vá com medo mesmo!”, destaca a líder.

Outras dicas importantes que a Gerente Departamental de Recursos Humanos, Jackeline Busnello, deixa para todas as mulheres vencerem a Síndrome da Impostora é: “Pesquise mais sobre o tema, faça uma lista com todas as suas realizações, aceite receber elogios e reconheça suas conquistas!”, ressalta a profissional.

Por fim, a Diretora de Infraestrutura de TI do Bradesco, Cíntia Scovine Barcelos, lembra também que ter uma rede de apoio que te incentive e ajude a vencer o medo é muito importante. “A rede não precisa ser grande, mas precisa ser verdadeira. Ao longo da minha carreira contei muito com o apoio do meu marido e duas amigas fiéis”, garante.

Além disso, focando exclusivamente na carreira em tecnologia, a Diretora ressalta algumas dicas para as mulheres que querem ter sucesso na carreira em tecnologia:

  • Estudar sempre e se manter atualizada com as tecnologias e novidades do mercado de TI
  • Investir no desenvolvimento pessoal e aprimoramento de softskills
  • Não ficar estagnado, buscar sempre por novas oportunidades. “Na hora que você estiver muito boa no que faz, é hora de dar o próximo passo”, destaca.
  • Não deixe a sua carreira acontecer apesar de você. Lute e busque realizar os seus desejos.

Quais estratégias as empresas devem adotar para ter equidade de gênero?

Para que as oportunidades em tecnologia sejam cada vez mais justas, as empresas também precisam fazer a sua parte. Mais do que abrir vagas para mulheres, uma das estratégias é investir em educação e capacitação para elas.

Nesse sentido, a DIO oferece diversas soluções para construção de bootcamps e acelerações, em que as empresas parceiras oferecem bolsa de estudos em tecnologia para mulheres e ao final do programa tem a chance de contratar os talentos que mais se destacaram.

Outra solução é investir em ferramentas que disponibilizam um ranking de talentos validados e certificados um a um, com filtros que permitem escolher o gênero, senioridade, tecnologia, entre outras características dos candidatos. Soluções como esta, garantem acesso a profissionais 100% disponíveis, garantindo taxa de resposta de 98% em 24h e agilizando o processo de contratação.  

Agora você já sabe quais são as principais dificuldades enfrentadas pelas mulheres, como está o mercado atual, quais estratégias mulheres devem adotar para ter sucesso na carreira de tecnologia e quais as empresas precisam investir.

Quer conhecer mais soluções para contratar mulheres em tecnologia? Clique aqui e agende um horário com nossos consultores!