Turnover: Quais tipos podem existir dentro da minha empresa?

Responda esta pergunta: é mais barato reter um funcionário na empresa ou contratar um novo?

Certamente, você respondeu “reter um funcionário” e está correto! Além de financeiramente mais vantajoso, a baixa rotatividade de colaboradores também desperta o interesse em pessoas que buscam adentrar na empresa. 

Mas onde entra o turnover nessa história?

Alguns tipos de turnover podem prejudicar a imagem da empresa. Fonte: Envato Elements

Sabemos que esse termo representa a taxa de desligamentos da instituição e que quando seu percentual está muito alto significa que a empresa teve mais demissões do que contratações naquele período analisado. Em um cenário mais restrito ele pode ser utilizado para medir a rotatividade de um grupo específico, de uma determinada área ou localidade. 

Entretanto, para fazer uma análise correta é necessário entender quais tipos de turnover podem existir. 

Turnover voluntário X involuntário

O desligamento de funcionários da empresa pode ocorrer de duas maneiras: voluntário ou involuntário.  O turnover voluntário acontece quando o colaborador toma a decisão de sair da organização, seja para iniciar outra oportunidade de trabalho ou qualquer motivo pessoal. Nesse caso, é interessante verificar quais foram os motivos que levaram a essa situação. Será que o funcionário estava descontente com o local de trabalho? O que pode ser melhorado para que isso não se repita?

O Turnover involuntário, em contrapartida, é quando a empresa toma a decisão de encerrar o contrato com o trabalhador, podendo ser causado por incompatibilidade profissional, baixa performance ou reestruturação da equipe. Nesse caso, por ser uma atitude estratégica, a instituição não encontrará problemas para fazer o recrutamento de novos talentos. 

Sendo assim, quais serão os impactos causados por esses desligamentos?

Turnover funcional X disfuncional

A taxa de rotatividade de colaboradores deve ser saudável para a organização. Fonte: Shutterstock

Antes de falar sobre a diferença entre eles é necessário entender que o conceito de funcional ou disfuncional é relativo e varia de acordo com a organização e com as atividades realizadas por ela. 

No turnover funcional a instituição não sai tão prejudicada. Ele representa a saída de funcionários que possuem baixo desempenho ou que ocupam funções que podem ser facilmente substituídas. 

Em contrapartida, o turnover disfuncional causa alguns prejuízos para a empresa e isso acontece quando o funcionário desligado ocupava um cargo difícil de substituir, era de grupos minoritários ou era um colaborador de alto desempenho. 

Então podemos concluir que seria possível reter todos esses funcionários se houvesse uma alta valorização de cada um deles? A resposta é não! Tendo em mente que a intenção da empresa não é zerar o índice de rotatividade, precisamos entender também que alguns turnovers são evitáveis, mas outros são inevitáveis e vão acontecer de qualquer maneira.

Turnover evitável X inevitável

Nesse caso, quando mencionamos a palavra “evitável” estamos nos referindo a situações onde a organização tem capacidade de influenciar, como por exemplo, quando o funcionário está descontente com alguma situação, quando deseja um ajuste de salário ou quando está insatisfeito com a empresa. Esse tipo de acontecimento pode ser resolvido através de uma conversa ou uma recolocação do profissional. 

Em contrapartida, o turnover inevitável acontece quando a instituição não pode tomar nenhuma medida para evitar esse desligamento. Por exemplo, quando um colaborador deixa a empresa por motivos de saúde ou por que tem o desejo de voltar aos estudos, mas é importante ressaltar que algumas situações que eram consideradas inevitáveis até pouco tempo, hoje em dia, podem ser repensadas e solucionadas. No caso do funcionário citado acima, a empresa muitas vezes tem a capacidade de reduzir a jornada de trabalho ou até mesmo optar pelo modelo de trabalho remoto a fim de facilitar a rotina dele sem precisar que ele saia. 

Para saber calcular o turnover da sua empresa, leia o artigo Qual é o turnover ideal e como calcular na sua empresa?

Como foi visto, o grande objetivo dessa análise detalhada é entender os pontos que precisam ser melhorados dentro da empresa e o que pode ser feito para reter os colaboradores e diminuir a taxa de rotatividade, de forma que ela seja saudável para a organização.

Veja também os artigos mais lidos: